Contacte-nos: 934564586/87*

*gratuito para chamadas realizadas através de nº fixo

Newsletter Dezembro

Consulte aqui a nossa newsletter de Dezembro.

 Se quiser subscrever, clique aqui.

 

Facebook icon Forward icon

NOVIDADES

Temos dois novos parceiros com quem estabelecemos protocolo recentemente.

Se é sócio do ACP terá condições especiais nos serviços da Live Longer. Clique aqui

Somos um dos parceiros da RNA (Rede Nacional de Assistência Médica). Se tem seguro de saúde dentro desta rede, contactando directamente a RNA, terá condições especiais nos serviços da Live Longer.

Lidar com a Doença de Alzheimer

Síndrome resultante de doença do cérebro, em geral de natureza crónica ou progressiva, no qual se registam alterações cognitivas de múltiplas funções nervosas superiores, incluindo a memória, o pensamento, a orientação, a compreensão, o cálculo, a linguagem e o raciocínio. As perturbações das funções cognitivas são muitas vezes acompanhadas, e por vezes precedidas, por deterioração do controlo emocional, do comportamento social e da motivação.


• É uma patologia do envelhecimento;
• Existem indicadores de risco associados à escolarização e ocupação profissional;
• O sexo feminino e a baixa escolaridade, para além da idade, são fatores de risco prevalecentes;
• A dificuldade de diagnóstico precoce de demência deve-se a múltiplos fatores, relacionados com a idade de início, o grau de escolaridade e nível sociocultural, assim como a presença de alterações comportamentais e/ou repercussões funcionais.

Sinais da Doença
Fase inicial:
•  falha de memória; desorientação; alterações de linguagem; dificuldades na resolução de problemas; alterações de personalidade; vida social caótica; falta de cuidado pessoal; perturbações do humor (ansiedade, depressão, apatia)
Fases mais avançadas:
• dificuldade em atos motores intencionais; dificuldade em interpretar informações sensoriais, nomeadamente, rostos conhecidos; linguagem restrita; distorções percetivas (alucinações); fenómenos delirantes; deambulações; sonolência diurna e vigília nocturna
Fase terminal:
•  diminui a agitação e aumenta a inércia; incontinência; perca da postura ereta; doente confinado ao leito; progressão da perda de autonomia

Apoio ao Doente
Como lidar com a perda de memória: manter atitude positiva e fomentar a tranquilidade; não levar o comportamento a peito; evitar chamar demasiado a atenção para erros e problemas; utilizar rotinas, sinais ou recados escritos.

Como tornar mais fácil a comunicação verbal: ter atitude positiva; sentar-se de frente para a pessoa (contacto visual), encorajando-a a falar; compreender o sentimento que exprime; adaptar estilo de linguagem e tom de voz; utilizar o nome da pessoa com regularidade; completar linguagem verbal com não verbal.
Como lidar com a desorientação: transmitir segurança; tentar fazer compreender o espaço/tempo circundantes; estabelecer rotinas; adaptar o ambiente às necessidades da pessoa.
Como descobrir atividades que deem prazer à pessoa com demência:  incluir a pessoa em atividades do dia-a-dia; realçar o prazer e não a obrigação; encontrar novos interesses se não for possível manter os antigos; prestar assistência adequada; incutir ao exercício físico, sempre que possível.
Como lidar com o comportamento agressivo: transmitir tranquilidade; tentar distrair a pessoa doente; evitar fazer frente ou prender a pessoa; tentar perceber sempre a causa para cada comportamento, de modo a preveni-lo.
Como lidar com agitação, nervosismo e cólera: manter a calma; tentar manter a pessoa ocupada (por ex, algo nas mãos); arranjar ocupação útil para a pessoa; atender aos sentimentos expressos;  reduzir fontes de medo.
Como lidar com a apatia e/ou depressão: não forçar a pessoa para algo que não tenha vontade; congratular por tudo o que consegue fazer; incutir mente e corpo ativos, combatendo a tristeza.
Como lidar com o não reconhecer de pessoas ou objetos: explicar que pessoa é e de que objeto se trata; não ofender, não criticar e corrigir só quando necessário.
Como lidar com alucinações e delírios: tentar explicar e transmitir segurança, sem questionar as crenças da pessoa; tentar distrair a sua atenção;
Como lidar com comportamentos sexualmente inadequados: tentar não se mostrar chocado ou aborrecido, pois pode desencadear reação violenta; tentar evitar ou cessar o comportamento sexual, incutindo outra atividade que lhe dê prazer.
Como lidar com insónias e deambulação diurna/noturna: limitar as horas de sono diurnas e manter o doente ativo; encaminhar para o local correto, com tranquilidade; tentar perceber se há alguma causa física ou ambiental para as insónias

Atividades de Natal Avós e Netos

Quase todas as crianças adoram estar e ajudar na cozinha. Por isso, em vez de gastar dinheiro em presentes para todos os familiares e amigos, leve os netos para a cozinha e dediquem uma tarde a confecionar deliciosos presentes de Natal. Bolachas em forma de estrelas, bombons caseiros ou compotas de fruta são excelentes ofertas que podem colocar em saquinhos e dentro de boiões de vidro (vá guardando alguns para este efeito) - depois é só decorá-los com fitas de Natal ou etiquetas personalizadas. E quem diz alimentos, diz também bijutaria, quadros ou tantos outros pequenos trabalhos manuais, dos quais podem resultar presentes de Natal cheios de ternura. Ver mais.